Pretérito perfeito

As linhas do tempo correm. Os pássaros da alvorada sempre voam sob minha cabeça. Fazem ninhos nos meus cabelos e se deixam ficar. Quando os pássaros se forem não serei mais quem sou. Nem serei tão sonhadora. Atriz em palco real. Os pensamentos poderiam cessar em tal constância. O relógio poderia emperrar para eu lembrar de como cresci. 

Nem pude notar. As pernas não são mais pequeninas e desajeitadas. Os sapatos apertados, deixei há tempos...Esqueci-me das roupas. Dos vestidos que vestia com tanta obediência. De como fora doce o amor que senti pelo vizinho que partiu. Das brincadeiras de criança no quintal de casa. Das poucas roupas que, como criança, me dava ao luxo de usar. Simples roupa de baixo. Da casa que tomava ares de casarão. De como ser caçula me dava privilégios de “filhinha da mamãe”. Dos sonhos que esperei concretizar. Do príncipe encantado que nunca apareceu... Das horas de estudo na escola. Das judiações também. Das rixas entre irmãos. Das histórias em quadrinhos que fazíamos, sempre com robôs do tipo caixa. A Memória deixou buscar o que não posso deter.

Datado de 2009. 

Comentários

  1. É errado dizer que o início do texto me fez pensar que era a árvore falando? Me senti... sereno. É o que eu senti. Existe uma nostalgia, mas não é aquele tipo de memória melancólica de "queria voltar". Resumindo, "Good Times".

    ResponderExcluir
  2. Extremamente nostálgico!! Eu, como um saudosista inveterado, não pude conter as lembranças que suas palavras também me despertaram!!! Beijos e Obrigado por me proporcionar esse breve momento!

    ResponderExcluir
  3. Um texto delicioso! Como já disse o Vitor: nostálgico. Doce, leve! O que acontecerá quando os pássaros levantarem voo, outra vez, dos ninhos que vivem a fazer sobre nossos cabelos?

    O Único Jeito

    ResponderExcluir
  4. Nostalgia é a palavra pra esse texto. Mesmo que parece ser suas reminiscências, acabou despertando um saudosismo equivalente em mim, as pequena memórias de infância e dos anos passados. Gosto quando o texto consegue, devagarinho, abrir passagem e me faz sentir coisas que não esperava. <3

    ResponderExcluir
  5. Hey, compreendi a ideia de nostalgia que a galera comentou, mas por mais estranho que pareça, para mim pareceu o momento do desgarro da infância, quando nos damos conta de que ela passou e a sdds batem, sabe? Mas vi isso como duas linhas e não um destino único, ah, acho que me enrolei rs Mas é isso :D

    xoxo

    ResponderExcluir
  6. De alguma forma eu me senti triste mas bem com o texto. Lembrar é muito gostoso, mas pra mim veio junto um sabor amargo de que a vida passou, e que talvez fosse mais gostosa no passado - talvez nem era, mas às vezes a gente se ilude com a saudade, né?
    Achei o título muito pertinente e fiquei mais tempo divagando nele do que no texto em si, hahaha! XD
    Beijo :*

    ResponderExcluir
  7. Muito nostálgico mesmo. Me deixou com gostinho de passado na boca, quase senti o cheiro da minha casa antiga... Você tem muito poder com as palavras, haha. :D
    Abraços~

    Nankin Dust

    ResponderExcluir
  8. Que belo texto, parabéns!
    Me identifiquei - acho que qualquer um pode o fazer - com o texto, nostágico e verdadeiro. Me fez pensar no quanto a minha vida mudou desde que consigo lembrar dos meus dias.

    Beijos

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Área interpretação livre: Faça comentários pertinentes ao texto. O que custa ler e opinar? Estou aceitando todas as teorias possíveis e interpretações mirabolantes (contanto que sejam sobre o conto).
Sem comentários superficiais, ok?: Se vier com um "adorei o texto", "interessante" (ou mesmo, se expressar de forma sucinta e sem significado) seu comentário não será aceito. E, nunca mais visitarei o seu blog. u.u
Prefira usar "Nome/Url" ao preencher a box de comments. Fica fácil na hora de retribuir.
Os comentários serão respondidos nesse post. Para ser avisado da resposta, selecione "Notifique-me", logo abaixo da caixa de comentários.

Postagens mais visitadas deste blog

Dois gatos

Teste de Coragem

Teto de verniz