O rito

Foi assim, numa noite quente de outubro que Andressa vestiu as roupas sacerdotais para iniciar o ritual. Estavam na sala seu irmão, sua irmã mais nova, e um gato. Testemunhas. Alguém precisava verificar se daria certo dessa vez. Se não seriam interrompidos pelo vulto ambulante de seus pais. O porão fora escolhido para o rito de passagem. Uma aranha pousou na cabeça do irmão e o fez pular da cadeira. "Xiiii", ela fez um movimento pedindo silêncio. Era de fundamental propósito que o gato da casa estivesse presente. No pergaminho dizia que qualquer quimera criada em moradia própria poderia participar. Bem, eles eram iniciantes e o gato fora escolhido. 

- Lê logo isso pra eu ir dormir - resmungou o irmão.
- Faz silêncio - disse a mais nova.

Andressa olhou de soslaio, um pouco irritada. O porão era mal iluminado, e as velas queimavam rápido. Seu inglês não fora praticado, o que tornava a leitura um tanto complicada. 

- Aff, não vai conseguir traduzir a tempo. Vou deitar - o irmão saiu da cadeira.
- Mana, vai demorar muito?
- É só um parágrafo que a tinta da impressora não conseguiu passar direito pro papel. Esperem. 

O gato subia as escadas.

- Pega o gato - pediu.
- Ok, ok. Mas eu quero aquela grana - ele subiu e pegou o bichano.
- Terá.

Ela limpou a garganta e começou:

"Ó, senhor do Oculto, eu te invoco pelos poderes a mim investidos em nascimento. Sob o sangue mítico de meus pais, peço para que se faça presente nesta sala"

As luzes das velas se apagaram. A caçula deu um gritinho abafado. O irmão imediatamente ligou o celular para iluminar o recinto. Uma sombra pairava sob o teto. Não tinha pés para que pousasse no chão. Suas mãos eram negras. Seu rosto, coberto por um capuz preto. 

Ele falou:

- Qual foi a criança humana-mítica que me invocou?
- Eu, senhor - Andressa deu um passo a frente, corajosa.
O gato já havia debandado, enquanto os irmãos permaneciam nas cadeiras, petrificados de terror.
- O que procede, criança?
- O senhor pode me tirar dessa casa?
- Hã?! - disseram os meninos. Tal pergunta assustou os irmãos. 
- Por quê? - a criatura quis saber.
- Tenho quase trinta e ainda não consegui me desvincilhar das minhas obrigações como irmã mais velha. Portanto...
- Espere - falou - E os seus irmãos?
- Sobre isso. Poderia trazer uma substituta?
- Você precisa pagar o preço. Realmente leu o manual?
- Sim. E estou de acordo. 
- Certo - moveu a mão direita e fez aparecer uma cópia de Andressa. Mais pálida e menos vivaz. 
- NÃO, MANA - a caçula não aguentou.
- Desculpa, gente.
- E a minha grana?
- Tá no seu travesseiro.
A criatura envolveu tudo com uma fumaça negra e sumiu com a menina. A caçula chorava e o irmão olhava o vazio. A cópia de Andressa apenas os observava com os olhos fundos.

Há um tempo atrás, deixei um desafio no blog que consistia em compôr em cima de uma imagem (leia sobre). Voltei com o desafio. Quem me indicou essa foi o Felipe (daqui mesmo). 

Comentários

  1. Você assiste desenhos? Se a resposta for negativa, então, eu digo que o texto é fruto dos campos mórficos. Se a resposta for positiva, bem, pensarei que a história tem relação com alguma série destas novas feiticeiras e bruxas. Eu gosto disso tudo! Mistério, família, entrega, destemor, entrega ao sobrenatural.
    Bom fim de semana!

    ResponderExcluir
  2. Oh, dear. Quando eu comecei a ler, fiquei morrendo de receio que o gato acabasse senso sacrificado. Se tem algo que me perturba profundamente em contos, é quando tem algum animal machucado ou morto. Lembro até hoje de uma passagem num conto de Poe (não me recordo o título agora) em que o personagem está viajando de balão com uma cestinha de gatos amarrada ao cesto, e uma hora os gatinhos caem. Foi o fim para mim! Voltando, sei que é característico dos seus contos a narrativa sucinta e evasiva, mas ficarei eternamente curiosa por mais detalhes. Como por exemplo, o motivo pela qual Andressa quis abandonar os irmãos e o que aconteceu com eles depois. Isso vai ficar por conta da minha imaginação, né?

    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  3. Ah, agora reparei no tema novo (é novo mesmo? haha)! Adorei. :)

    ResponderExcluir
  4. Nossa, eu achei bem cruel a atitude da mais velha rs Comecei lendo e imaginei também que o gato seria sacrificado e tal rs mas realmente me surpreendi com tudo o que rolou. Gostei como tu construiu o texto, de acordo com a imagem, ficou bem com um ar de roteiro de anime/mangá *-*

    Isso aí!
    xoxoxo

    ResponderExcluir
  5. nossa você escreve muito bem xd Não sei porque mas enquado eu lia eu estava ja imaginada toda a cena como se fosse um anime >.<
    Adoro hhistorias então ja estou a amar o seu blog .
    Seguindo xD

    Com carinho, Hina || Aishiteru em Contos ||

    ResponderExcluir
  6. Imaginei a cena perfeitamente na minha cabeça!
    Legal esse desafio de criar um texto baseado em uma imagem. O legal é que você consegue instigar a pessoa a ler, e no final fiquei querendo mais.

    Beijos,
    Fer - http://viciosemtres.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Que história macabra Emilie rs Mas tipo, por causa da temática ritualística e tal, não no sentido maligno. Até porque achei curioso a maneira contada, deixando tenso, mas sem uma profundidade que assusta. Incita, feito ficção mesmo. Feitiçaria é um tema muito legal de ser explorado. E você soube bem nos instigar. Achei surpreendente o pedido dela sair e deixar uma cópia dela hehehe.

    Beijo!!

    ResponderExcluir
  8. Ah, Emi, me diga que haverá continuação, por favor!!! hahaha
    Achei que o gato morreria, pobrezinho, ainda bem que não. To com pena dos irmãos e medo da cópia da Andressa, na minha imaginação ela é bem cruel.

    http://www.novaperspectiva.com/

    ResponderExcluir
  9. Estou gostando dessa história apesar de ter começado a ler hoje mesmo,sabe Emile você escreve muito bem!Não foi muito legal o que a irmã mais velha fez,mesmo assim quando comecei a ler comecei a imaginar sabe os personagens o ambiente tudo.Me surpreendi com a atitude da irmã mais velha,mais ela deve saber o que está fazendo.
    {Com carinho Bella,Cultivando Palavras}

    ResponderExcluir
  10. No início eu achei que fossem só algumas crianças brincando com o que não deviam. QUE MEDO. O.o
    Achei meio escroto da parte da irmã, mas sei lá o que ela estava passando. Não fiquei curiosa com o que vem depois. Mas queria saber o que veio antes. Afinal, alguma coisa fez com que ela quisesse tanto deixar o lugar, certo?

    ps: Gente, esse desafio é DEMAIS. Se eu roubar a ideia vc vai me bater? Digo, mts vezes eu escrevo meus textos a partir de imagens que encontro, mas nunca pedi para os leitores me desafiarem com imagens. Posso?
    ps2: compõe em cima dessa: http://mich4elmyers.tumblr.com/post/87103268664
    posso te desafiar com mais de uma img? rs

    bjão <3

    ResponderExcluir
  11. Me apaixonei por essa história, sério. Achei que no fim ia acontecer absolutamente nada... MAS ACONTECEU *O* Baibai irmãosinhos

    ResponderExcluir
  12. Pelo que notei é uma história contínua. Acompanhar assim a história de relance deixou-me curiosa sobre os acontecimentos anteriores..

    Fico à espera do próximo episódio. :)

    ResponderExcluir
  13. @Adão: Sim, assisto desenhos animados. Mas nunca peguei algo que tivesse relação com feiticeiras e bruxas. É uma coisa bem longe do meu referencial. Se tivesse que tirar de algum lugar, seriam de seriados de suspense (?) ou da própria literatura. (Acho que foi uma mistura dos dois - ainda não tenho certeza). @Yuu: Não, eu nunca sacrificaria animais (nem mesmo em contos). u.u. Acho uma maldade inconcebível. (Ainda tô pensando se vale uma parte 2). E mudei o layout mesmo. Obrigada <3. @Hina: O Adão também pensou que tinha me "inspirado" em desenhos. Amo animação japonesa. Mas esse não foi o caso. @Washington: Obrigada. >3>. @Fernanda: Você poderia participar também se quisesse. Sim, todos ficaram curiosos. @Alexandre: Porque seria demais simplesmente sumir. @Bella: "apesar de ter começado a ler hoje". Não é uma sequência y.y. @Mari: Tumblr é terra de ninguém. Fico com um pé atrás quando me enviam imagens sem crédito. Mas talvez eu deva abrir uma exceção(?). Estou tentada. Pode roubar a ideia. Não é original mesmo. É interessante achar alguém que faça composições a partir de imagens (assim como eu). Pode me desafiar com outras. o/ ::: @Felipe: É comum não acontecer nada? Vou começar a apimentar minhas histórias. -q @Ziza: Não haverá. Mas curti a sugestão da Mari de contar o que aconteceu para chegar a esse ponto.

    ResponderExcluir
  14. Uma história realmente bem macabra, eu não sou um ávido conhecedor de animes, apesar de gostar muito de alguns, por isso, o tempo todo eu fiquei imaginando, não um anime, mas um suspense diabólico com feitiços, invocações...tais como aqueles que são lançados em massa no cinema, a diferença é que seu texto conseguiu ser mais interessante do que muitos filmes sobre essa temática.

    Também fiquei curioso para saber como seria um "prequel" dessa história.

    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Gente, eu adorei <3 não esperava nada nada esse final, achava que o gato ia ser sacrificado, juro uiahsuias e fiquei super curiosa com o depois, de como seria essa cópia da Andressa. E adorei a idéia *-* você escreve muito bem!

    Loud Like Moi

    ResponderExcluir
  16. Eu ameeeeei, é tão raro eu ler coisas realmente suas Emilie, não sei se você posta pouco ou eu que sempre que passo vejo o post de outro autor, enfim amei! Eu me detive por um tempo imaginando a criatura invocada, deu arrepios, achei que fosse ser mais macabro mas no final foi só um pouco chocante, me deixou na curiosidade de o que teria acontecido com a irmã mais velha ela só sumiu, ou foi para algum lugar? essas coisas
    Amei :)

    ResponderExcluir
  17. Awn... me fez lembrar de quando eu escrevia *-* Mas tu tem mais talento -qq Adorei, não sabia que tu postava coisas de tua autoria, mas espero ver mais disso aqui no blog! Tu escreve de um jeito que faz com que a gente, do outro lado da tela, fique preso na leitura, sem vontade alguma de desgrudar os olhos até que o texto acabe *-*

    Com carinho, Essie || Blue Leaves ∩( ・ω・)∩

    ResponderExcluir
  18. Adorei esse texto. Adoro muito quando uma história que parecia boba tem um plot-twist assim e UAU CARA!
    O que me deixou meio confusa foi que eu jurava que ela era assim uma adolescente e depois ela tinha quase 30, como assim? Ela envelheceu em uma sentença, isso não é de deus. u_u E assino em baixo do pessoal: quero saber o que levou a esses acontecimentos.
    Achei sucesso o desafio com imagens, e se eu puder desafiar acho ainda mais sucesso! Tenho muita imagem que daria boa história, ahaha!
    Beijos :*

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Área interpretação livre: Faça comentários pertinentes ao texto. O que custa ler e opinar? Estou aceitando todas as teorias possíveis e interpretações mirabolantes (contanto que sejam sobre o conto).
Sem comentários superficiais, ok?: Se vier com um "adorei o texto", "interessante" (ou mesmo, se expressar de forma sucinta e sem significado) seu comentário não será aceito. E, nunca mais visitarei o seu blog. u.u
Prefira usar "Nome/Url" ao preencher a box de comments. Fica fácil na hora de retribuir.
Os comentários serão respondidos nesse post. Para ser avisado da resposta, selecione "Notifique-me", logo abaixo da caixa de comentários.

Postagens mais visitadas deste blog

Dois gatos

Teste de Coragem

Teto de verniz