Decolagem (por Ana Carolina)

              Nas primeiras vezes que andei de avião, achei que desmaiaria. Cada ínfimo barulho já despertava o medo de uma desgraça inescapável, cada curva era um tormento medieval. Mais novata, impossível.

           Durante a viagem em si não há muito o que me aflija, nem mesmo o pouso. A decolagem é o momento mais crítico, pois traz a assustadora fase de “sair do chão”. Vencida essa etapa, a gente se acostuma com a nova altitude. Douglas Adams escreveu que “para voar basta errar o chão” e ele não poderia estar mais certo. Parece que a coisa mais difícil para o ser humano é tirar os pés – e a alma – do chão firme e seguro.

              Mesmo quando temos certeza de que largaríamos tudo por um sonho, nada garante que realmente aproveitaremos as oportunidades para isso. Não é culpa de ninguém. O chão é convidativo, a estabilidade é desejada e por vezes, na verdade, já temos tudo que precisamos e só percebemos quando algo crítico acontece.

            Também não é preciso se martirizar. De tempos em tempos a vida nos força a umas decolagens, sem choro nem desculpa, e tudo que podemos fazer é acompanhar a subida com o frio na barriga característico.

             Apesar desse medo constante, sento na janelinha sempre que posso, pois a vista sempre vale a pena.




Escrito por Ana Carolina, do Aneki's Corner

A Ana tem twitter, pra quem quiser se comunicar com ela: @anakidd . Se gostou da inciativa de ler contos de outros autores, e também quiser ter um texto publicado aqui, leia as regras

 Imagem: obligatory shot of aeroplane window, by ztephen

Comentários

  1. Saudações


    O medo de estar em um avião, tão pertinente para muitas pessoas e tão trabalhados das mais diversas formas...

    Mas a simbologia do decolar e aterrissar está realmente interligada às nossas próprias existências. Aceitar desafios, superar limites, ultrapassar linhas (saudáveis), buscar ir mais longe, entre várias outras definições possíveis.

    Este conto deu uma definição bem palpável para isso.


    Até mais!

    ResponderExcluir
  2. Nada mais certo do que esse "Decolagem" e o receio de "sair do chão".Voar parece fácil mas não para o ser humano tão afeito á "estabilidade".Por experiência propria só posso dizer PERFEITO.Um grande abraço filha e continue as suas decolagens!

    ResponderExcluir
  3. Realmente nos prendemos ao chão, buscamos muito a estabilidade e às vezes deixamos de curtir muita coisa. Acho incrível quem consegue se desprender e aproveitar tudo que a vida proporciona. :)

    ResponderExcluir
  4. Eu comecei a voar de avião a pouco tempo e fiquei surpresa com a ausência do medo, para mim foi como anda de ônibus... talvez porque eu seja uma pessoa voadora por natureza me sentir em casa no ar...

    ResponderExcluir
  5. O que não é o medo do desconhecido do ser humano? Talvez seja apenas medo de sair do chão. Texto incrível, gostei bastante.

    Thoughts-little-princess.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Quando li "o chão é convidativo", me lembrei de quando eu era pequena e caia, ralava o joelho, e minha mãe falava isso completando com um "tudo bem, calma, pelo menos do chão ela não passa" porque os meus avós ficavam desesperados quando eu caia no chão. Enfim, gostei da forma como você escreveu esse sentido da decolagem, que por mais que eu tenha medo, também sentaria na janelinha. Eu nunca viajei de avião, mas pelo o que meu pai me contou parece ser bem tenso mesmo quando se está lá em cima já. Adorei!

    Bitocas!
    www.likeparadise.com.br

    ResponderExcluir
  7. Nossa que texto perfeito! Adorei a metáfora da decolagem, principalmente com a comparação da regra para voar de Douglas Adams. Acho que para ser livre é preciso se desgarrar de certas coisas, sair da zona de conforto. Gostei *--*

    ResponderExcluir
  8. Que gracinha esse texto! Realmente as mudanças são assustadoras, dá vontade de ficar quietinha no nosso canto quietinho, sem muita adrenalina, assim, bem estacionada.
    Adorei a comparação da "decolagem" da vida e a literal.

    ResponderExcluir
  9. Às vezes é preciso alçar voo da zona de conforto, e abraçar em queda livre o desconheciado. Duvido que até que pular de paraquedas traga uma sensação tão emocionante como essa.

    Beijos =*

    http://alacazaam.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. "Mesmo quando temos certeza de que largaríamos tudo por um sonho, nada garante que realmente aproveitaremos as oportunidades para isso. " Pois é!

    Mais um texto que vejo publicado aqui que eu adoro e me identifico!

    Beijos.
    http://viciosemtres.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Muito bonito o texto. Esse medo de "voar" é mais comum do que a gente imagina... mas as vantagens são tão deliciosas!!!

    ResponderExcluir
  12. Sim, a vista vale muito à pena... Bem, e estou concordando como uma metáfora à vida porque, para ser sincera, nunca andei de avião (menos pelo medo e mais pela falta de oportunidade). O texto ficou muito bonito. Adorei este trecho: "De tempos em tempos a vida nos força a umas decolagens, sem choro nem desculpa, e tudo que podemos fazer é acompanhar a subida com o frio na barriga característico.".

    Beijos ♥ Jeito Único

    ResponderExcluir
  13. Adorei. A comparação foi maravilhosa. Ótima mensagem.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  14. Adorei a analogia, vou usar com algumas pessoas ^^

    ResponderExcluir
  15. Todo mundo tem medo. Alguns em maior ou menor escala. Alguns tem medo de escuro, de insetos, de perder e até do avião, citado no texto.
    A gente nunca teve subestimar o medo dos outros. E as vezes enfrentar aquilo que mais nos amedronta significa fortalecimento e crescimento pessoal imenso!

    Beijo

    ResponderExcluir
  16. tenho decolado muitas vezes, nos últimos tempos, nem sempre porque eu quero.

    ResponderExcluir
  17. Gostei do conto. Nunca andei de avião, mas como tenho vontade sempre leio relatos de outras pessoas sobre o tema. As palavras desse texto servem tanto para viajar de avião pela primeira vez quanto para a vida.

    petalasdeliberdade.blogspot.com

    ResponderExcluir
  18. Que lindo esse texto!
    O importante é mesmo com o medo, querer olhar as nuvens pela janelinha.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  19. O importante, o que dá sentindo à vida é tirar os pés do chão. Talvez só nos falte ousadia para voar.

    M&N | Desbrava(dores) de livros

    ResponderExcluir
  20. Texto simples mas com uma mensagem incrível. Estou passando por um desses momentos em que tenho que decolar mas estou com medo. Mas mesmo assim o certo é seguir em frente!
    Beijos!

    http://violettadebourbon.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  21. Sim, a primeira vez que andei de avião eu também morria a cada turbulência.

    Sobre o texto, às vezes é preciso correr riscos e passar por sustos, mas o que importa é sair da sua zona de conforto, depois que você saí, daí é só curtir o voo.

    Um abraço,
    http://oepitafio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  22. O que me chamou atenção no texto não foi o avião e a decolagem em si, foi a comparação que ela fez disso com a vida! Adorei mesmo, e a frase final me tirou um sorriso do rosto. "Pois a vista sempre vale a pena."

    Beijos.
    www.quaseatoa.com

    ResponderExcluir
  23. Uma vez a aeromoça me pediu pra fechar a janela (o sol estava nascendo), e eu achei que o avião estava caindo e as janelas seriam fechadas pra que ninguém percebesse. Assim bem idiota hahaha
    Sim, a vida nos força a decolagens. Mas de fato, a vista vale a pena.

    ResponderExcluir
  24. eu vivo sempre nas alturas...com esse friozinho na barriga que a vida sempre há de proporcionar,mas o medo sempre vem e realmente vale a pena no final
    Emily Jacky

    ResponderExcluir
  25. Esse texto foi tão amor... por ser mais banal, acho, que acabou me encantando tanto. Adoro reflexões/monólogos rs'

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Área interpretação livre: Faça comentários pertinentes ao texto. O que custa ler e opinar? Estou aceitando todas as teorias possíveis e interpretações mirabolantes (contanto que sejam sobre o conto).
Sem comentários superficiais, ok?: Se vier com um "adorei o texto", "interessante" (ou mesmo, se expressar de forma sucinta e sem significado) seu comentário não será aceito. E, nunca mais visitarei o seu blog. u.u
Prefira usar "Nome/Url" ao preencher a box de comments. Fica fácil na hora de retribuir.
Os comentários serão respondidos nesse post. Para ser avisado da resposta, selecione "Notifique-me", logo abaixo da caixa de comentários.

Postagens mais visitadas deste blog

Dois gatos

Teste de Coragem

Teto de verniz