Vampiro

   Gosto do fato de ser sua amiga. És uma criatura interessante, tem uma conversa agradável e uma voz bonita. De locutor de rádio. Pretensiosamente, disse que me apaixonaria pela sua voz. Não exageremos, não me apaixono por vozes, nem me dou ao luxo de ser uma de suas presas.

           Aqui não terá vez, não confio em vampiros ao ponto de por eles me enamorar. Seu poder de análise é assustador. Na pior das hipóteses, deve ter vendido sua alma. Não é comum. É absolutamente imprevisível. Conversar com ele é como jogar xadrez. Depois que descobrimos como o adversário joga encontramos uma brecha... Podemos ser amigos, então? “Seu exército, meu exercito – protegeremos os nossos reis”. Baixe as armas, não vou me aproveitar, sou como você: diferente.

        Nos daremos bem se soubermos como nos proteger. Aja normalmente. Como se fosse um deles. Não te descobrirão. Mas, não seja um deles. “É melhor do que eles”, nunca esqueça. Infiltre-se e os manipule. Obtenha os dados que tanto quer. Os humanos são experimentos de vida. Coloque-os em um cubo de ensaio. “Como são pequenos vistos daqui”. Observe-os de perto, veja seus vícios, anseios, medo. De perto e ao mesmo tempo longe deles... Quem te mordeu? Quem te mostrou o outro lado? Meio homem... Vampiro... Um humano pela metade?


Comentários

  1. Lindo texto. Como sempre. E muito original. Com sempre, também.
    E eu sempre me surpreendo...
    Enfim, me peguei pensando nessa parte que critica os humanos como experimentos, não somos nem de longe perfeitos/bons, mas nossos sentimentos bons nos colocam num tipo de balança. E isso seria um experimento, não? Algo nem bom nem mal. Só humano.

    ResponderExcluir
  2. A cumplicidade, dentro da própria diferença, é realmente uma saída perfeita pra os desajustados. Acho que a parte difícil está em encontrar o cumplice. E a imagem combinou perfeitamente com o texto. Sério, ás vezes eu acho que a imagem que o autor escolhe para ilustrar seu texto no blog diz muito sobre o significado daquele texto, e por isso nunca deixo de por imagens nos meus kkk

    obs: qual é o endereço do blog q vc me indicou?

    ResponderExcluir
  3. "Aja como se fosse um deles, mas não seja um deles." - gostei.
    Os humanos são cópias das cópias, todos iguais de alguma forma. Algumas vezes pela caminhada da vida você encontra um ou outro diferente, que tenta ir contra a maré e confesso, sempre gostei mais desse tipo de gente.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Gostei do texto uma análise original e ao mesmo tempo com sua própria verdade a respeito do homem e suas limitações. Mostra que mesmo que existam pessoas diferentes, a maioria é muito parecida.

    thoughts-little-princess.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Lindo texto. Quantas vezes na vida somos obrigados a nos parecermos com os outros. Ou sermos como o mundo idealiza.
    -Quantas vezes somos obrigados a nos igualar apenas para pertencer a alguém a algum grupo.
    - Se as pessoas soubessem quão incrível é quando vc é diferente, não dariam espaços para viver a vida no meio termo.

    ResponderExcluir
  6. Gostei do texto, eis que dar um livro, poderia ser meio que Uma conversa inusitada com um vampiro. Adoro a sua forma de escrita, as forma como você harmoniza, alinhas as palavras de forma tão linda. Parabéns. http://realidadecaotica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Ler seu texto ouvindo Cazuza cantar "o nosso amor a gente inventa pra se distrair" as 11 e quase meia da noite acaba tornando a leitura uma experiencia onirica... puro deleite, puro delírio... prazer, o prazer que um bom texto nos traz não tem preço! Obrigada pelo devaneio Emilie, de quebra você me lembrou alguém ou melhor uma experiencia de relacionamento que tive com alguém que se pudesse ser descrita...

    Pandora

    ResponderExcluir
  8. Adorei a imagem e o texto.
    Estou lendo um livro bem assim. O cara é um vampiro, mas não quer contar e nem pode.
    M&N | Desbrava(dores) de Livros

    ResponderExcluir
  9. Se houvesse um livro inteiro seu com essa temática, eu leria do início ao fim.
    Creio que toda a sociedade seja meio vampira, sugando dos outros tudo que tem, longe dos padrôes materiais.
    Muito muito muito bom seu texto!
    beijo

    ResponderExcluir
  10. Que texto hein? :o
    UAU
    Isso me lembrou como se livrar de um vampiro apaixonado - um dos meus fave de vampiros <3333 haha No começo é assim mas no fim.... Adorei seu texto :D
    Realmente 14 anos não é criança, mas eles não deixaram a criança dentro deles morrerem... rsrs
    Um beijo!
    Pâm - interruptedreamer.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. lol!
    Gostei da forma como posicionou o texto. Realmente, fácil manipulação quando se descobre o jeito que o adversário joga. Talvez seja esse o problema das pessoas, ter sempre a mesma conduta perante todos os jogos. Vamos esperar que futuramente isso mude, mas desconfio um pouco disso.

    A História de Todo Mundo

    ResponderExcluir
  12. Conversa agradável com voz baixinha é um perigo.
    Também não confio em Vampiros;

    Histórias, estórias e outras polêmicas

    ResponderExcluir
  13. Diálogo formal = ♥. Bem instigante, adorei. :)

    ResponderExcluir
  14. Texto envolvente, como sempre. Interessante o fato de pensar que não estamos sozinhos nessa imensidão.

    Beijinhos,
    www.procurei-em-sonhos.com

    ResponderExcluir
  15. Acho que apaixonei pelo garoto da fotografia, pois para mim ele seria perfeitamente uma versão adolescente do Tim Burton. E casou perfeitamente com o conto vampiresco, temática que eu tanto amo.

    Beijos =*

    ResponderExcluir
  16. Minha leitura fluiu tão bem como nunca havia fluido por aqui... (Não que os outros textos não são bons), mas esse me prendeu de uma maneira, e acabou tão rápido! Foi muito envolvente.

    www.adolecentro.com

    ResponderExcluir
  17. Seu texto realmente me prendeu. Quando menos percebi, já estava no fim. Admiro escritores que conseguem nos prender. Você conseguiu. Parabéns.
    P.S - Adorei o tema vampiresco.
    cronicasdeumlunatico.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  18. Ai que coisa linda adorei.
    Pq toodo texto que tem aqui é adorável? Acho que é diversidade de estilos :)

    ResponderExcluir
  19. Boa tarde Emilie... no fundo todos somos um pouco vampiros.. no sentido de energia.. vampirizamos e somos vampirizados.. quando nos sentimos fracos é pq alguém esta a roubar nossa energia e isso se chama vampirização.. sempre temos que cuidar os lugares onde vamos principalmente festas onde rola bebidas.. perigo constante .. muito bem elaborado o teu texto deixo um lindo dia e grato pela sua visita até sempre

    ResponderExcluir
  20. A vida é meio que um jogo e as regras nós é que fazemos, dia-a-dia. Triste de quem dançar fora do ritmo.

    Sacudindo Palavras

    ResponderExcluir
  21. Já começou bem, adorei.
    E já sinto que posso dizer que a juventude está no espírito, haha!

    beijo, beijo!
    Goiabasays

    ResponderExcluir
  22. Nossa, eu fui transportada pra esse cenário e para o meio do diálogo agora!
    Excelente texto, super bem escrito! E concordo com o comentário acima: dava um livro!
    Parabéns pelo talento, voltarei mais vezes pra conferir teus escritos! :D
    La Vie d'Lee

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Área interpretação livre: Faça comentários pertinentes ao texto. O que custa ler e opinar? Estou aceitando todas as teorias possíveis e interpretações mirabolantes (contanto que sejam sobre o conto).
Sem comentários superficiais, ok?: Se vier com um "adorei o texto", "interessante" (ou mesmo, se expressar de forma sucinta e sem significado) seu comentário não será aceito. E, nunca mais visitarei o seu blog. u.u
Prefira usar "Nome/Url" ao preencher a box de comments. Fica fácil na hora de retribuir.
Os comentários serão respondidos nesse post. Para ser avisado da resposta, selecione "Notifique-me", logo abaixo da caixa de comentários.

Postagens mais visitadas deste blog

Dois gatos

Teste de Coragem

Teto de verniz