Sorte do dia

        Na sala escura pendia uma roupa de seda. Na cadeira, ceroulas. Um vento furtivo entrava pela janela, enquanto o casal descansava na cama. É doce ver como os dois se conheceram. Ele atrasado para o trabalho, esbarrara no garçom, e foi parado pelo dono do bar que esbravejava algo sobre pagar as garrafas que derrubou. Muito chateado, seguiu o seu caminho. Entrou no ônibus. Sentiu o cheiro de cerveja na roupa. Seria um ótimo dia.

        Ela acordou no horário de sempre. O que a atrasou foi o ônibus, que pregou no meio do caminho. Saí do transporte. Espera outra condução. Suspira de frustração. 

       Na saído do trabalho ele gostava de pegar o percurso mais longo, ir à pé até a estação. Admirar as árvores pelo percurso. Não é por que o dia começou mal que ele tem que acabar da mesma maneira...

       Colocou os pés fora da empresa. Cumprimentou o porteiro. Olhando para as patilhas, sorriu para si mesma. Havia um homem caminhando a sua frente. Ela olhou detalhadamente. Sapatos engraxados. Paletó azul marinho, com listras petras semi perceptíveis. Resolveu acelerar o passo para puxar conversa. 

    - Dia difícil?- disse, notando o cheiro de cerveja.
   - É...- percebeu que ela falava do cheiro e quis explicar - Não. Eu não bebi. Esbarrei num garçom antes do trabalho. Minha sorte. 


Comentários

  1. Adorei a ideia conectada com o início da história e que fica subentendida! Achei inteligente!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Que texto lindo, como todos os outros... Como a Yasmin disse, a ideia conectada com o início da história ficou ótimo e super inteligente!

    Beijos,
    www.thingsofadreamer.com

    ResponderExcluir
  3. Muito bom. Nunca consegui escrever algo assim, onde um mínimo detalhe do início explica o final. Muito inteligente isso.
    Seguindo, segue de volta?
    the-paradiise.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Adorei, eu pensava que iria acabar de um jeito e fui surpreendida adorei
    beios

    ResponderExcluir
  5. E acabou sendo mesmo um ótimo dia, que coisa bonita de se ler. A imagem do inicio foi muito bem construída, gostei.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  6. Que texto gostoso de ler. Adorei <3
    Beijo

    Marina Alessandra do blog Maior de Idade
    @mariinaale
    @maioordeidade

    ResponderExcluir
  7. Muito bem pensado o texto. Adorei como ele se conecta consigo mesmo. Bem simples e gostosinho de ler.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Eu adoro esses tipos de contos de romances cotidianos, sabe? Porque são histórias que podem acontecer com qualquer um. Até comigo. E é o que sustenta minhas esperanças, sabe...?


    Beijos =*

    http://alacazaam.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Emilie, tão bonito. As histórias que escreves deviam mesmo tornar-se realidade no quotidiano de certas pessoas. Escolhes sempre as melhores palavras, sou tão fã deste espacinho.

    ResponderExcluir
  10. Gosto de contos assim. Amei, sério. Usa boas palavras, queria saber escrever (juro!)
    Beijo <3

    shelikesrockn-roll.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Esse conto ficou muito legal! Talvez pela sua facilidade em escrever duas histórias diferentes em uma, que incrível ;o

    Adolecentro

    ResponderExcluir
  12. Adoro contos! E o seu, é perfeito!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Nossa, gostei muito! Principalmente de como uma história se entrelaça com a outra!
    vestindo-ideias.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Saudações

    Definitivamente, foram palavras muito bem adequadas neste conto, que ficou sumariamente perfeito em sua execução.

    Felicitações, nobre.

    Até mais!

    ResponderExcluir
  15. Owwn, tão criativo! Adorei o modo como construiu a estória, atrasos podem gerar boas coisas, afinal, e isso é algo tão do dia-a-dia que fica difícil não se ver também nos personagens, se perguntando o famoso "e se...?"

    http://florescerepalavrear.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Atrasos, esbarrões tudo pode ter um lado bom.

    ResponderExcluir
  17. E nesse encontro de esbarrão, pode alguma coisa boa ocorrer.

    M&N | Desbrava(dores) de Livros

    ResponderExcluir
  18. Que jeito gostoso e despretensioso de se conhecer *-*
    adorei adorei.Fiquei apaixonada !

    ResponderExcluir
  19. Bah, que história estranha *_* E inteligente, claro <3 Amo narrativas assim, atrasos que podem se transformar em outras coisas ;}

    Beijos
    Meu outro lado

    ResponderExcluir
  20. Gostei muito do texto! Tive que ler duas vezes,só pra sentir o gostinho de ler a história sabendo o que aconteceu *-*

    Legal como as vezes uma coisa que parecia ser azar acaba virando sorte hahah'

    ResponderExcluir
  21. Um pouco confuso, mas o que seria da vida se não fosse assim as vezes, e por que não os texto. Como sempre escrevendo bem, e quando falei estranho me referi a história e não na forma como você escreveu. Até mais, belo texto. http://realidadecaotica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  22. Oie Emilie =)

    Ah!! Que graça de texto! Adorei a forma causal e espontânea como tudo aconteceu. Ah! (...) como seria bom se a vida fosse assim as vezes né rs...

    Belo texto! Parabéns ;)

    Beijos ;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary


    ResponderExcluir
  23. Adorei o texto, bem diferente como se conheceram, adorei :) beijinhos

    ResponderExcluir
  24. Seria tão bom se essas histórias de crônicas como essa acontecessem de verdade hahaha achei romantico! Beijo!

    ResponderExcluir
  25. Achei tão mágico. Garçom, desce a parte dois da história. Por favor!

    ResponderExcluir
  26. E quando chego no fim ... surpresa, rs.

    ResponderExcluir
  27. Owwwn que amor *--* dá vontade de saber mais sobre os dois.
    tem post novo lá no blog.
    beijos,
    barradosno-baile.blogspot.com

    ResponderExcluir
  28. Que bonitinho! Quero conhecer alguém assim também... haha
    -xoxo

    www.s2juuh.blogspot.com

    ResponderExcluir
  29. Que fofinho *-* Seria tão bom se coisas assim tão naturais e espontâneas acontecessem no nosso dia-a-dia... Me apaixonei pelo seu blog, lindo >.<

    Beijos.
    http://www.agoraquecresci.com/

    ResponderExcluir
  30. r: sim mantemos contacto (: apesar de ser diferente.
    ______________________

    que fofo o texto gostei muito

    ResponderExcluir
  31. Adorei, o texto foi surpreendente.

    www.iasmincruz.com

    ResponderExcluir
  32. Emilie, chorei de rir com a parte das "ceroulas". Essa palavra me faz rir loucamente. É porque fico pensando se, antigamente, existiam senhorinhas mais assanhadinhas e diziam aos seus maridos coisas como "meu bem, tire as suas ceroulas e vamos nos amar...". Ok, essa parte foi podre... hahahaha.

    Um abraço!

    Sacudindo Palavras

    ResponderExcluir
  33. Tá divertido, esperto e bastante bem fechado.
    Muito legal de ler.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Área interpretação livre: Faça comentários pertinentes ao texto. O que custa ler e opinar? Estou aceitando todas as teorias possíveis e interpretações mirabolantes (contanto que sejam sobre o conto).
Sem comentários superficiais, ok?: Se vier com um "adorei o texto", "interessante" (ou mesmo, se expressar de forma sucinta e sem significado) seu comentário não será aceito. E, nunca mais visitarei o seu blog. u.u
Prefira usar "Nome/Url" ao preencher a box de comments. Fica fácil na hora de retribuir.
Os comentários serão respondidos nesse post. Para ser avisado da resposta, selecione "Notifique-me", logo abaixo da caixa de comentários.

Postagens mais visitadas deste blog

Teste de Coragem

Dois gatos

Teto de verniz