O rosto de Joseph

A lenda diz: "No dia de São Joseph há um fenômeno na floresta de Baltimore". O fato fora, há muito, silenciado pelos velhos da pequena vila. Tudo o que se sabe é o que sussurro das mães contam aos filhos. 
- Estão prontos para a ouvir uma história fantástica? - disse Ana, aconchegando os filhos na cama.
- É verdadeira? - perguntou o pequeno Gabriel enquanto Eduardo, calado, observava a mãe sorrir.
- Depende de quão extraordinária a história lhes parecer...
...
Todo o dia de São Joseph uma criança da vila era escolhida para ir à floresta de Baltimore. Ela era escoltada por adultos, portando tochas, até certo ponto. Diziam ser seguro, visto que nenhuma criança fora engolida, dilacerada ou - simplesmente - adoecesse depois do ritual.

Mas, voltemos um pouco. Deixemos Grace com sua tocha e seus olhos assustados para outra hora. Retornemos ao dia, ao homem, ao fato. Joseph tinha quarenta anos, lenhador, carpinteiro e tudo o que mais lhe pedissem para ser. Era muitíssimo pobre. Possuía uma filha, deixada pela mãe - que saiu em fuga.  Certo dia sua filha fora achada na floresta, morta, sua pureza violada. Toda a vila ficou em alvoroço. Joseph perdeu a sanidade e passou a viver de migalhas. A razão fugira de sua mente. Ele resolveu ir atrás do assassino de sua filha. Andou tanto que acabou caindo ao chão, debilitado.

Quase nada sobrara de sua feição original, era um caco de gente. Noutro dia, acordou, tentou mexer o pescoço e notara: estava preso a uma armação de madeira. Preocupado, observou que seu corpo se fundira a uma árvore. Sem saber se estava sonhando, gritou. Os urros puderem ser ouvidos por caçadores e animais que passavam pelo local.

Num dia em que lhe apeteceu pôr a cabeça pra fora do tronco de madeira, conversou com um transeunte idoso. Contou-lhe tudo. O senhor não pareceu se surpreender com tal aparição fantástica, pois afirmara ter visto "muita coisa nessa vida". As pessoas decidiram renegar ao medo e homenagear a face presa à árvore. Joseph gostava da companhia das crianças. Conversavam muitas coisas. Tudo quanto era pergunta de cunho natural ("De onde vem o orvalho?" "Como se forma a chuva?") era respondida pelo rosto. Depois de um tempo, ele passou a ser o sábio da vila. A alcunha de "santo" foi apenas uma colocação nominal, uma vez que não sabiam como denominar o fenômeno.

.......................................................................................................................
Indicação do Roane Araujo, do Design of Monsters
QUADRO: Grotto of the Old Mass, by Mark Ryden

Voltei com o Desafio "Uma Imagem / Um Conto". Continuem mandando suas indicações (leiam as regras aqui). Tenho dois contos de leitores para serem publicados. Aguardem (leiam sobre aqui).

Comentários

  1. Gostei, mas fiquei com medo eu não falaria com um cabeça numa arvore rs
    beijos

    ResponderExcluir
  2. Emilie, querida Emilie... <3
    ando a tentar alterar a temática há uns tempos, mas sempre acontece algo que me faz voltar ao anterior. continuarei a tentar, ainda assim. obrigada pelas doces palavras!

    ResponderExcluir
  3. Emilie, que criativo esse teu conto! Arrasou! Gostei mesmo.

    Beijo!

    Sacudindo Palavras

    ResponderExcluir
  4. O começo da estória é triste, mas depois ficou legal, embora que não me passe pela cabeça tê-la grudado em um tronco.
    :)

    ResponderExcluir
  5. Nossa, achei muito interessante o conto, que legal <3

    Beijos e boa semana, Emilie!
    Brilho de Aluguel

    ResponderExcluir
  6. mais uma vez o blog surgindo com ideias super maravilhosas sobre textos a serem publicados.

    adorei o texto, mesmo com aquela vontade de que durasse páginas e mais páginas. tão agradável e instigante de ler.

    grande abraço!

    ResponderExcluir
  7. Legal o conto, bem diferente, beijos Emilie

    ResponderExcluir
  8. Muito criativo Emilie!
    Parabéns.

    Um beijo,
    Jhosy

    http://meninamsicaeflor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Muito criativo, parabéns, achei surpreendente!
    vestindo-ideias.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. O problema é que a gente sempre quer mais e mais das tuas histórias! Sua criatividade vicia!

    ResponderExcluir
  11. Conto incrível, só pra variar não é? Sério, daqui a pouco os meus comentários só terão isso se repetido mais e mais ^^

    http://florescerepalavrear.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Adorei o conto, mas fiquei com medo no começo, achei que seria uma história de terror haha
    -xoxo

    http://s2juuh.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Gostei bastante, muito criativo a história.
    Beijo

    Marina Alessandra do blog Maior de Idade
    @mariinaale
    @maioordeidade

    ResponderExcluir
  14. Fantástico e criativo! Texto muito sedutor, sua criatividade me surpreende!

    estrellando.com

    ResponderExcluir
  15. Que texto mais legal.
    Gostei mesmo. Achei-o criativo e cativante.
    Parabéns!!
    Beijos <3

    ResponderExcluir
  16. Oie =)

    Gostei do texto! Um pouco assustador no começo, mas com uma final bem surpreendente.

    Parabéns!

    Beijos e uma ótima semana;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary


    ResponderExcluir
  17. Foi você que escreveu Emilie? Nossa, eu amei!! De verdade ^^
    Você escreve muito bem hahaha
    Gostei bastante do blog tbm! Estou seguindo *-*
    Beeijoss

    fantasiand-o.blogspot.com

    ResponderExcluir
  18. Meio tenso né? Assustou-me.

    David - Leitor Compulsivo

    ResponderExcluir
  19. Triste o que aconteceu com a filha dele e estranho de ser uma árvore

    ResponderExcluir
  20. Ai que legal, adorei o texto, muito bacana esse desafio "uma imagem, um conto" :D
    Continue postando seus textos lindos..
    :*

    ResponderExcluir
  21. Puts, que massa... Bom demais! Adorei mesmo.

    http://mon-autre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  22. adoreiii, coisas assim me dao prazer pra ler..
    adorei o post
    bju

    http://aieuvivantagem.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  23. Esse conto me fez lembrar de O Labirinto do Fauno, com essa história de cabeça na árvore, rs.
    Gosto de contos assim, fora dos padrões :)
    Bjus

    Rafa
    Rafaelando.com

    ResponderExcluir
  24. Gente que curioso ... Até eu imaginei ser uma história real rs Emilie, você que inventou essa história? Muito criativa e bem narrada!!

    Adolecentro

    ResponderExcluir
  25. Uh que interessante!
    Mas, qual era o ritual? e-e
    Enfim, suas histórias sempre são ótimas! Vou lendo, lendo, lendo, e de repente acaba quando poderia durar muiiito mais! *-*
    Vejo um pouco da Liza em roupas do classic lolita com cintura imperial, fora que a personalidade dela, para época, isso me chama a atenção e me faz brilhar os olhos! :)

    ResponderExcluir
  26. Belo conto :)
    obg por já estar comigo no Facebook também, rs.

    beijo, beijo!

    Goiabasays

    ResponderExcluir
  27. Que conto maravilhoso! Ele tem um quê de lenda, de folclore, que o torna ainda mais mágico! Baltimore é uma das minhas cidades favoritas em todo mundo! E eu acho que vi um livro das ilustrações do autor da imagem do post na Saraiva há algum tempo atrás! Não tenho certeza, mas o trabalho me lembrava muito essa imagem, e era igualmente lindo!

    Beijos =*

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Área interpretação livre: Faça comentários pertinentes ao texto. O que custa ler e opinar? Estou aceitando todas as teorias possíveis e interpretações mirabolantes (contanto que sejam sobre o conto).
Sem comentários superficiais, ok?: Se vier com um "adorei o texto", "interessante" (ou mesmo, se expressar de forma sucinta e sem significado) seu comentário não será aceito. E, nunca mais visitarei o seu blog. u.u
Prefira usar "Nome/Url" ao preencher a box de comments. Fica fácil na hora de retribuir.
Os comentários serão respondidos nesse post. Para ser avisado da resposta, selecione "Notifique-me", logo abaixo da caixa de comentários.

Postagens mais visitadas deste blog

Dois gatos

Teste de Coragem

Teto de verniz