CCN-SR: Capítulo 11 - Será o fim?


(Confusões de uma Colegial e seu Namorado-Servo Robô)




“No capítulo anterior: Os heróis se infiltram no mundo negativo e entram na base do Anônimo, mas são pegos por uma armadilha e separados. Agora cada um segue seu próprio caminho até o grande oponente”

Subindo as escadas apressadamente, a bruxa procurava alcançar seus companheiros. A escadaria termina. Abre-se uma porta e Diana quase é esmagada por uma pilha de limões. Escalando o monte azedo e amarelado, encontra Nicolas fugindo de um Aquaminion Unicórnio que lançava raios com seu chifre. Quanto azar considerando a quantidade de limões numa sala tão grande. Tropeçando em tudo, a feiticeira paralisou o unicórnio temporariamente e começou a brigar com o Azarado detetive. “Como alguém pode ter tanto azar?” reclamava. A criatura se soltou. O detetive correu, atirando com sua estranha arma. A bruxa distraiu o oponente com um furacão flamejante, depois saltando e caindo sobre o unicórnio, invocando cipós metálicos para prendê-lo. Num último esforço, o aquaminion lançou seus raios para todas as direções, acertando a moça sobre ele. Com Diana desmaiada na pilha de frutas azedas, sobrava para Nicolas derrotar a criatura, que tentava escapar de sua prisão. Respirou fundo, rezou e puxou a alavanca da pistola, torcendo para não receber limões. Uma voz saiu do aparato “TERRA - URSO - TERRA – PATADA FURIOSA!!”. A pistola se transformou num bastão brilhante. Um bramido correu pelo salão, o chão tremeu e duas patas gigantes de pedra brotaram do chão e moveram-se em direção do monstro, o esmagando.

– Pior arma de todas. - concluiu o detetive.

– NÃO INSULTE MEU PRESENTE!! - diz Diana danto um soco no braço do menino.

– AAAI... VOCÊ.. Não estava inconsciente?

– Eu sou mais forte do que pareço... Enfim, bom trabalho com o bicho.

– Se minha vitória depende completamente da sorte, acho que estou perdido.

– Depois compramos uns amuletos juntos. Está livre sexta?

– Bem... Na verdade eu vou sair com a Zmaj... Nós estamos meio que.. Bem... Vocês ficaram fora tanto tempo.

– ORA SEU TARADO!! - dá outro soco nele - E ainda se vê no direito de dar um nome pra ela. Já parou pra pensar que ela já tem um nome? E é bom você não ter usado ela seu maluco!

– Nós não fizemos nada... E ela não se incomoda com o nome. Achou até fofo ser chamada de algo diferente de serva... E nos beijamos e etc

– O QUE?!

– BEM, VAMOS LOGO. Precisamos derrotar o vilão da história e etc.

– Se eu não estivesse com pressa acabaria com você, seu safado...

– Ok...

Ignorando as revelações, a Bruxa tirou uma vassoura de sua bolsa e a levitou. Subiu no veículo com o detetive e alertou com raiva “Não ouse pegar nos meus quadris”. Voaram rápido pelos corredores, conseguindo alcançar os outros dois heróis. Ainda enfrentando a ninfa, o robô usava todas suas memories e habilidades enquanto Zmaj, transformada numa espécie de dragão chinês, rodeava o templo lançando bolas de fogo na oponente. A bruxa e o detetive foram libertar os seguidores que faltavam. Dentre eles se encontrava Bruna, Paulo e Kamila. Ao acordarem do transe, ficaram confusos ao encontrarem seus colegas batalhando com criaturas estranhas. Kaila principalmente, ao descobrir que seu namorado é o tal do cavaleiro da capital. A batalha estava difícil. A ninfa jogou uma enorme onda sobre o herói, o derrubando. Depois invocou um dragão de água para batalhar com o outro oponente. Derrubado, o herói então viu seus amigos torcendo por ele e gritando. Kamila se aproximou do amora dela, o beijou e abraçou chorando e gritou “SE VOCÊ NÃO VENCER ESSA VACA EU TERMINO COM VOCÊ, E EU NÃO QUERO NAMORAR OUTRA PESSOA, ENTÃO LEVANTE E VENÇA SEU RUIVO LINDO!”. Espantado com a reação da amada, o robô sentiu algo diferente dentro dele. Uma nova memorie apareceu. “Love”. Agora ele entendia que não se tratava apenas de Kamila, mas de todo apoio vindo dos colegas de classe e o que ele investiu sem saber durante a estadia na escola. Prontamente inseriu o cartão. Sua roupa ficou vermelha e com uma juba. Seu corpo ficou em chamas, ele abriu asas e voou contra a oponente, lhe golpeando diversas vezes. Zmaj derrotou o dragão de água e foi ajudar. Thiago voou para cima, apertou um botão da glove, concentrando todo seu poder. Energia correu pelas asas brilhantes de fogo. Zmaj e Thiago deram um rasante na Ninfa e a derrotaram. Não fizeram festa. Estavam preparados para a aparição do Anônimo. Ele ia aparecer, certo? Fatigada e sem forças, a Ninfa tentou explicar a situação. O Mago negro usou a pedra para absorver a essência de todas as almas no mundo para se transformar num deus. E ele conseguiu. Entretanto, ao ser realizado o desejo, desapareceu e uma estátua representando sua figura ficou em seu lugar. O mundo humano continuou o mesmo, as almas foram devolvidas e mais nada aconteceu. Apenas as pessoas presas no mundo negativo continuaram no transe. O oficial contatou o DPI para levar a criminosa e a estátua, também pedindo para verificar se o que a Ninfa disse era verdade. E era. Nada foi mudado, em nenhum aspecto. Com o problema terminado, restou apenas aos heróis e seus amigos voltarem para casa.

--------------------------------------------------------------------------- Imagem: http://thealmightygods.blogspot.com.br/2012/10/amun.html

Comentários

  1. Adorei esse capitulo, gostei da parte do unicórnio rs
    beijos

    ResponderExcluir
  2. Me perdi nos capítulos,mas lembrei um pouco da história rs Gostei muito desse capítulo!
    vestindo-ideias.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oie!

    Ah!!! Esse final me deixou com gostinho que quero mais *-*, há me pareceu também que a solução foi um pouco simples rs... acho que tem mais coisa ai heim =P

    Adorei!

    bjus e uma ótima semana!
    ;***
    anereis.
    mydearlibrary | bookreviews • music • culture
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir
  4. Nossa, o capítulo passou voando! Queria que fosse um pouquinho mais descritivo, mas tudo bem. E quem diria, uma memorie "love" surgindo assim, me surpreendeu...

    ResponderExcluir
  5. Esse robô e essa garota marrenta ainda tem muita história pra contar! rs
    Beijos,
    Vinícius - Livros e Rabiscos

    ResponderExcluir
  6. Curti muito esse capítulo. E concordo com a Ane, esse final me deixou com gostinho de quero mais. haha
    beijo

    Marina Alessandra do blog Maior de Idade
    @mariinaale

    ResponderExcluir
  7. Eu comecei a ler o capítulo, mas achei melhor pegar um dia e ler tudo desde o começo, fiquei muito tempo longe e preciso me atualizar. adoro a forma de escrita.

    Beijos. Tudo Tem Refrão

    ResponderExcluir
  8. Adorei o capitulo Felipe, gosteiii muitoo de todas as cenas, fiquei a imaginando tudo :) beijão

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Área interpretação livre: Faça comentários pertinentes ao texto. O que custa ler e opinar? Estou aceitando todas as teorias possíveis e interpretações mirabolantes (contanto que sejam sobre o conto).
Sem comentários superficiais, ok?: Se vier com um "adorei o texto", "interessante" (ou mesmo, se expressar de forma sucinta e sem significado) seu comentário não será aceito. E, nunca mais visitarei o seu blog. u.u
Prefira usar "Nome/Url" ao preencher a box de comments. Fica fácil na hora de retribuir.
Os comentários serão respondidos nesse post. Para ser avisado da resposta, selecione "Notifique-me", logo abaixo da caixa de comentários.

Postagens mais visitadas deste blog

Dois gatos

Teste de Coragem

Teto de verniz