Chaga

   Ela se arruma em frente ao espelho. Nervosa. A voz dele,ao telefone, parecia muito com a de alguém que só lembrava vagamente. Receosa, ela sai. Sentia uma fagulha de alguma coisa, ainda que não soubesse o que... Definir pra quê? Tão bom quando não sabemos. Quando arriscamos. Caímos de um precipício de olhos fechados. Sem pára-quedas. Vai dizer que nunca se arriscou? A moça o espera no local marcado. O rapaz se atrasa. Até que ela o vê. Era ele! Teve certeza. 

          O primeiro encontro tão desengonçado. Tão tímidos. Pede para segurar sua mão. Ela nega. Tem medo. Segurar a mão significa compromisso. Eles caminham. Passeiam. Ele compra um sorvete para os dois. Primeiras impressões. No segundo encontro: Cinema. Conversam timidamente. No meio do filme, ela sente uma vontade irreprimível de beijá-lo. Toma o rosto do rapaz e o beija. Desajeitado beijo. O começo de tudo... Mês seguinte comemoram. Assim se passam os meses. Pareciam felizes. Apaixonados. Falavam em casamento. Ela que nunca dantes havia sequer pensado nessa possibilidade, pensava agora. Se tivesse que viver com alguém, que fosse com ele. Amava-o e isso a assustava. Medo. Não poderia se entregar tão facilmente. 

           Não é assim que as coisas funcionam. Quando um gosta mais do outro, uma das partes sofre. Notara isso muito tempo depois. Tarde demais. Fora pega pela teia de uma víbora,e agora seria devorada sem dó. Aconteceu tão rápido que nem deu tempo de notar. Ele não a amou. Perguntava-se se algum dia ele chegou a amá-la. A ideia de “amor como algo infinito” se esvaia as poucos de sua mente. Seu mundo de conto de fadas se ruiu,e tudo porque não foi cautelosa. A chaga estava ali. Tirava a casquinha dela, de vez em quando. Sangrava um pouco. Voltava a surgir a casca. Cutucava quando já estava sarando. Por fim, deixou que cicatrizasse. Era mais sábio. “Aprendo com meus erros”, foi o que disse. Esqueceu da chaga.

Comentários

  1. Que triste. Eu gostei tanto do começo, foi tudo tão bonitinho. Mas o texto é ótimo.

    Beijos
    Brilho de Aluguel

    ResponderExcluir
  2. O que não podemos é deixar que essas cicatrizes nos deixe atemorizados de tal forma, que paramos de viver. O medo de nos ferirmos novamente. Belo conto, Emilie. Simples e sincero. eu gosto de ler coisas assim. E não vejo nenhum problema em ter se colocado no texto, ao contrário, talvez isso é que tenha dado tanta fidelidade a ele.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Emilie, texto maravilhoso e real, o que muitas vezes acontece mesmo... mas nada como o tempo para cicatrizar as feridas... bjokas

    ResponderExcluir
  4. triste ou bonito? penso que tristemente belo, sublime ♡

    ResponderExcluir
  5. O texto está lindo, Emilie. Gostei demais. Achei meio triste, mas com bastante detalhes, muito lindo. Beijão e bom domingo <3

    ResponderExcluir
  6. Texto lindo, de um forma suave ele vai se desenrolando em uma estória que todos já passamos um dia. E como doi deixar cicatrizar, porque as vezes ficar cutucando aquilo parece fugir do fim que tem que acontecer.
    Amei o blog.


    nidum.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Caramba, tão lindo quanto arrazador...
    Gostei. “Aprendo com meus erros”, foi o que disse. è isso aí.

    abraços.

    ResponderExcluir
  8. Que texto ótimo! Adorei :)
    beijos

    Marina Alessandra do blog Maior de Idade
    @mariinaale

    ResponderExcluir
  9. Eu lendo e pensando "ahh, queria tanto encontrar um amor assim, que as coisas iam acontecendo devagar, diferente do jeito que tudo acontece hoje". Aí chega no último parágrafo e o que era lindo já não é tão belo. Tenso.
    -xoxo

    http://s2juuh.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. que lindo e triste, (quase)sempre é assim, uma parte ama mais que a outra, e essa parte é a que sempre se machuca.
    beijos

    ResponderExcluir
  11. nossa flor. Belo texto

    http://juhhrabelo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Amei o texto ~
    O comecinho dele me lembrou a música 'Escolho Você' da Sandy [Sim, eu gosto dela, e as músicas do novo ep dela que ela jogou no youtube estão recheadas de piano ~ ]

    Pois é, até eu assustei com tanto rosa, mas como eu gostei do back vai ter que ficar assim mesmo... hsuahsausahu

    Bye o/

    ResponderExcluir
  13. Contos de fadas quase não existem. Quase sempre o amor gera dor.

    O mundo sob o meu olhar

    ResponderExcluir
  14. Sempre tem os primeiros erros, as decepções amorosas, só não podemos mesmo deixar que tais feridas nunca cicatrizem e nos marquem por um bom tempo :/

    Beijos ><

    ResponderExcluir
  15. Story of my life. Eu tenho essa péssima mania de cutucar a casquinha. Tenho consciência disso e dos males que isso traz, mas é mais forte do que eu.

    ResponderExcluir
  16. Como todos os comentários, ao mesmo tempo que é triste é lindo. Porém, fico com vontade de querer realmente saber o que ele sentia por ela. Vontade de ler mais :)

    Beijos
    macaaverdee.blogspot.com

    ResponderExcluir
  17. Que texto lindo! Concordo com você. O amor deve ser na mesma intensidade de ambos os lados senão não há equilíbrio.
    http://www.avidaemletras.com/

    ResponderExcluir
  18. nossa
    que texto heim
    bem clichê pois acontece com quase todo mundo
    mas temos que esquecer e sempre dar uma nova chance ao amor
    que um dia a gnt se acomoda com algum >> que chamamos de certo
    usahsuahsuahsuahsuahsuhau

    http://radiopires.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Lembrei de uma época em que isso aconteceu comigo :|

    ResponderExcluir
  20. Um belo texto, achei muito comovente.

    Bjos!!
    Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  21. Poxa fia, que texto lindo! de uma certa forma suas palavras se encaixaram perfeitamente com o que sinto. Muito bom! Adorei o blog, e amei o texto sério <3
    Pirados e Piradas, estou esperando vocês! Xero
    http://pireidevez.com

    ResponderExcluir
  22. Oie Emile!

    Como sempre falo: Até a tristeza pode ser algo belo. Seu texto é melancolico, triste, mas ao mesmo tempo de uma beleza que comove pela simplicidade e verdade presentes nas entre linhas.

    Parabéns!

    bjus;***
    anereis.
    mydearlibrary | bookreviews • music • culture
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir
  23. Texto muito, muito bom!
    Parabéns, Emile!
    (amando o blog)
    ;)
    http://sesobrarpapel.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  24. Lindo o texto e ao mesmo tempo triste. E é tão comum de acontecer! Porém não é só porque não deu certo uma vez que acontecerá o mesmo em todas as outras né? =) Parabéns!

    ResponderExcluir
  25. o texto bateu em mim pela realidade em si da coisa. achei super bem escrito e de um tom muito pessoal que eu curto. vontade de ler sem parar. :)

    P.S. (tô pensando num texto exclusivo pra colaborar aqui, quero uma coisa bem legal, afinal pra mim é uma honra. :)

    grande abraço ;)

    ResponderExcluir
  26. Nossa, é realmente assim. "Aprender com os erros" uma frase clichê hoje em dia, mas sem duvida extremamente verdadeira!

    http://florescerepalavrear.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  27. Ah, a gente aprende.
    E as cicatrizes servem para alertar, para que não caminhemos outra vez em direção ao erro...


    Jhosy

    http://meninamsicaeflor.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  28. Oi Emi!
    Conheço pessoas que sofreram desse mal, e seu texto realmente expressa os horrores físicos e psicológicos pelos quais elas passam! Adorei o trocadilho entre sofrimento do coração com a implícita doença!
    E desculpe-me pela demora em retribuir a visita! Estava viajando, e só chequei a minha caixa de e-mails hoje!
    Tenha um bom dia,
    Vinícius - Livros e Rabiscos

    ResponderExcluir
  29. Oi Emilie! Acho complicado quando isso acontece,é como se a pessoa estivesse ficado com você o tempo todo,mas ao mesmo tempo estivesse longe. Amar e não ser retribuído é complicado,já vi casos de muitas amigas que sofreram com isso,o texto é ótimo,triste porém ótimo rs
    vestindo-ideias.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  30. Aproveitei bastante mesmo Emilie :D

    Que texto maravilhoso *-* Tão lindo, tão fofo! Me lembrou até o meu começo de namoro, é triste o final, mas sempre é bom se previnir, mas nunca podemos deixar essas cicatrizes de amor deixar a nossa vida complicada :D

    E como todos estão falando, o final é triste, mas o texto está ótimo!

    http://japona.mairanamba.com

    ResponderExcluir
  31. saudade dos seus textos aqui. esse adorei pela profundidade e pelo realismo, essas coisas acontecem e são tristes mesmo, não tem outro tom.

    :*

    ResponderExcluir
  32. Algumas feridas nós insistimos em cutucar!
    Lindo texto e lindo blog, obrigada pela visita!
    Já estou seguindo.
    Beijos.

    http://esfriouocafe.blogspot.com.br/
    https://www.facebook.com/blogesfriouocafe

    ResponderExcluir
  33. Sempre nos magoamos ao ficar insistindo com o que não vai acontecer ou naquilo que não vai dar certo. Mas somos humanos e estamos aqui para errar.
    Adorei o texo, Emi. Beijinhos.
    http://dream-after-dream.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  34. Eu gostei muuito do texto.Mostra o início,o medo de se apaixonar,o casamento(contos de fadas)e então a realidade.Ás vezes ela nos mostra que amamos alguém,e ás vezes que precisamos apenas ser amados.Sei lá,o amor é estranho e sensato ao mesmo tempo.Acho que é por isso que tentamos á todo custo descrevê-lo né? Eu amei o conto :)
    http://borboletametamorfoseando.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  35. Que triste :/ Mas muito lindo e verdadeiro!

    Indiquei um meme para você lá no blog. Caso você goste de leitura, confira!
    Moda na Janela

    ResponderExcluir
  36. Acho que essa ilusão de "pra sempre" é o que cria a chaga, sabe? Sinceramente, não acredito que um sentimento dure pra sempre... Ele evoluí, com o passar dos anos, vai da paixão, ao amor, a amizade, a comodidade, a necessidade, ao costume, a convivência e permanece uma amizade até que a morte ou o divórcio os separe. E essa coisa de uma parte gostar da outra, é inevitável, ao meu ver... Algumas pessoas sentem as emoções de forma mais intensa que outra, outras se apegam mais, ou tem mais medo de demonstrar e mesmo assim, gostam. Caladas, mas gosta. Aprender a ver o romantismo nas pequenas coisas, acho que é o segredo do "felizes para sempre". Adorei o conto, que novidade, não? HDSUSUHDS

    Beijos ;*

    ResponderExcluir
  37. Nossa, que lindo... e triste... mas bom! Muito bom =]

    help-adolecentro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  38. Fizeste-me lembrar uma coisa que me disseram um dia:

    "Caminha comigo de mãos dadas. Nunca caminhamos de mãos dadas."

    ResponderExcluir
  39. Que texto mais lindo *_*
    Doce e ao mesmo tempo real, é uma pena que nem todos os amores podem ser pra sempre. Cabe a cada um aproveitar o melhor daquilo. Eu adoro textos românticos e o fim também pode ser bonito ;)
    Beijos grandes!
    Juliana Skwara
    http://www.momentolala.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  40. Nenhum sofrimento é em vão, sempre aprendemos com nossos erros.

    Tem post novinho no Sugar Dance ♥

    Beijos e tenha uma ótima sexta!

    Sugar Dance (clique no perfil para visitar)

    ResponderExcluir
  41. Adorei o teu texto.
    Lembrei do início de namoro.

    Tecido_Doce
    Sorteio
    Twitter

    ResponderExcluir
  42. EMIIIIIIIILY, AMORE MIO <3
    Quanto tempo né? Desculpe-me o meu sumiço, prometo vir aqui mais vezes ok? E quanto ao texto, não sei o que dizer, já que você diz tudo com o final.
    Acho que querendo ou não, toda garota no fundo, quando começa um relacionamento não quer admitir que ama o cara, mas dai quando admite percebe que esse cara não a ama tanto assim como imaginava e dai fud*. É como dizem, começo é mil maravilha, mas depois de uns 2 meses é que o negocio começa a esquentar :B
    Mas tem que ser como tu disse no final, parar de ficar cutucando isso e tentar pelo menos aprender com a situação, pois existem 10000000 de idiotas nesse mundo e a gente vai conhece pelo menos metade deles ¬¬
    UHAHUSAHUSAHUASUSAUSAU #fail

    Enfim, amei! (não sei o que dizer mais)

    http://rascunhosdasuuka.com/

    ResponderExcluir
  43. Quando tempo que eu não visitava aqui. Haha
    Bom...seu texto, achei ótimo como sempre. você devia ser escritora, devia transformar todos esses seus contos e junta-los todos eu um livro, é o que eu acho.

    http://crazy-costumes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  44. Olha, no início, pensei que o encontro fosse uma armadilha ele iria mata-la. Depois, pensei que ela fosse matá-lo quando o romance terminou. Depois, percebi que ninguém ia matar ninguém e mesmo assim o texto é bom. Rs

    ResponderExcluir
  45. Emilie, cicatrizes sempre nos fazem mais fortes, desilusões nos ensinam e, independente do quanto nos machucamos na hora do tombo, nós sempre nos levantamos, mesmo que demore. Chagas aparecem, mas também se curam. :)

    Gostei muito do texto!

    Beijo grande!

    ResponderExcluir
  46. OLha é a primeira vez ue eu passo aqui e tive uma surpresa enorme ao ver que escreve tão bem. Andei lendo algumas de suas outras histórias e adorei tudo o que escreveu e a forma como o fez :)
    Já me tornei sua seguidora haha
    bjs
    naquelemoemntoeujuro.blogspot.com

    ah, e eu me identifiquei com seu texto, é por essas e outras que criei essa dificuldade em me relacionar seriamente com o sexo oposto.

    ResponderExcluir
  47. Estava lendo seu texto e fui abrir meu blog e lá estava seu comentário, isso é do mal ahuahauha ou melhor, do bem né :P Faz tempo que eu não passo aqui, tive que estudar muito no fim do ano e fiquei com um computador que mais parecia uma tartaruga, mas voltei :) O emilie escreve é um dos meus favoritos (até está nos favoritos hehe) e depois de muito tempo, volto, leio e lembro do porquê. Ótimo texto. Acho que todos nós já tivemos essa doença né, mas é isso mesmo, o importante é não arrancar a casquinha... deixar cicatrizar.

    Tenha uma ótima semana :)
    Bjs

    www.ideiasdesenfreadas.com

    ResponderExcluir
  48. Porque a função do amor unilateral é doer, machucar e corroer. Apenas isso. :(

    Sacudindo Palavras

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Área interpretação livre: Faça comentários pertinentes ao texto. O que custa ler e opinar? Estou aceitando todas as teorias possíveis e interpretações mirabolantes (contanto que sejam sobre o conto).
Sem comentários superficiais, ok?: Se vier com um "adorei o texto", "interessante" (ou mesmo, se expressar de forma sucinta e sem significado) seu comentário não será aceito. E, nunca mais visitarei o seu blog. u.u
Prefira usar "Nome/Url" ao preencher a box de comments. Fica fácil na hora de retribuir.
Os comentários serão respondidos nesse post. Para ser avisado da resposta, selecione "Notifique-me", logo abaixo da caixa de comentários.

Postagens mais visitadas deste blog

Teste de Coragem

Dois gatos

Teto de verniz