Arredia por natureza

        Tive princípios de enxaqueca. Acontecimento estranho... Não costumo sentir dor de cabeça. Quando tenho, suspeito de aneurisma ou qualquer coisa relacionada... 

             Não sei ao certo, mas acho que padeço de algo. Quase cai da escada. Apareceu assim, de repente. Em um relance,minha cabeça girou. Foi rápido. Como naqueles flash-backs quando estamos caindo.  A vida toda passou na minha frente Quedas são sempre dramáticas?

            Uma figura na penumbra para ao me ver descer. Seus braços me ampararam antes da queda inevitável. Pelos nos braços? A dor de cabeça não me deixou reagir. De camisola, cambaleie até o quarto apoiada no sujeito. Sua barba encostou nas minhas têmporas.  
Tive o desprazer de recebê-lo ontem à noite. Queria que eu fosse dele. Sua para sempre. Acho que sou vulnerável. Vai saber... Foram dois goles de vinho... Melhor do que anestesia, posso garantir. Ele me tomou. Por consentimento, me dei naquela noite. Foi assim, de repente. Não racionei, o vinho me subiu a cabeça. Coisa de momento. Grosseria da parte dele, ingenuidade minha.  “Seu quarto continua o mesmo”, disse depois do décimo gole. Bebia seu vinho preferido. “Por que só fazemos quando você está bêbada? Eu te causo tanta repulsa assim?”.  

                Era meu marido ontem à noite. Não sinto nada por ele além do que meu corpo pensa sentir... Sou assim, arredia.Não é indicio de aneurisma -  é ressaca.

.........................................................
Imagem: retro_doi_by_brambura33 (cacei o autor da imagem no Deviantart.Mas,infelizmente,a conta está inativa). Fica o crédito de algum usuário....

Comentários

  1. minha querida, obrigada pelos comentários sempre sinceros.
    gostei tanto de te ler, deixaste-me com vontade de continuar a divagar para além do que deixaste aqui...

    ResponderExcluir
  2. Medo do divórcio, ou não quer magoá-lo mesmo?

    ResponderExcluir
  3. Prefiro Champagne. E uma hora o cara vai cansar dessa história (porque ela já cansou)

    ResponderExcluir
  4. Bem interessante a historia, de fato acabamos entrando em um estado de transe quando o relacionamento fica assim, e o amor talvez pela própria rotina não nos permite quebrar isso. Ótimo conto, adorei seu comentário lá no meu blog, tem post de aniversário lá se quiser dar uma olhada ^^

    ResponderExcluir
  5. Vi o desafio de imagens e adorei a ideia! Tenho uma para você:
    http://immaculatemurder.deviantart.com/art/Suicide-16717701
    Espero que goste, boa sorte ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OMG! Achei que ninguém lembrasse! Obrigada,sua linda ;*

      Excluir
  6. Rotinas devem ser quebradas, e não quebradas quando não se pode lembrar.
    beijos

    ResponderExcluir
  7. Angustiante suas palavras. Clima pesado. Uma situação deveras desconfortável. Caramba, como gostei.

    ResponderExcluir
  8. Nossa, ressaca, que coisa horrível.

    www.blogmeninamulher.com

    ResponderExcluir
  9. Você acha que não gosta mais dele do mesmo jeito que antes?
    -xoxo

    s2juuh.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Surpreendente. Além de prender a atenção, você ainda conseguiu surpreender com as ultimas frases do texto. Adorei!!!

    ResponderExcluir
  11. É engraçado como as pessoas se acomodam em situações que poderiam acabar com tanta facilidade. Talvez um dia eu seja assim também, e só ache engraçado por que sou adolescente. o texto está muito bom, como sempre. há séculos eu não chego aqui no blog e tem um conto seu logo de cara, Emilie. rs

    ResponderExcluir
  12. Sempre que tenho uma dor ou coisa estranha acho que tenho algo errado, do tipo daquelas doenças incuráveis, rs. Consegui me ver nas primeiras estrofes, rs.
    Um ótimo início de semana.
    Bjus

    Rafa
    Rafaelando.com

    ResponderExcluir
  13. As minhas quedas costumam ser menos dramáticas. Normalmente são de bicicleta e só tenho tempo para pensar, já foste Loira.

    ResponderExcluir
  14. Acho que nem precisa de bebida, certas coisas com ou sem álcool não possuem nenhum mísero tipo de consciência...
    ~ E Obrigada *----*

    Bye o/ ~

    ResponderExcluir
  15. Desafio. AHS
    http://sphotos-e.ak.fbcdn.net/hphotos-ak-snc6/227543_538865496143300_1499091259_n.jpg

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você lembrou do Desafio.Obrigada!! AHS? \o/

      Excluir
  16. Gostei muito do texto!!
    Beijinhos :3

    Am
    http://www.vinteepoucos.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Nossa, muito apreensivo, o texto.
    E triste também.
    Obrigada pela visita e fique a vontade sempre.

    ResponderExcluir
  18. (Não, não;
    não mudei a estrutura;
    apenas variei!)

    Para curar a ressaca, tome
    a mesma dose da cachaça
    Que lhe embriagou.

    ResponderExcluir
  19. Amei o texto, apesar de triste :(

    Beijos,
    www.thingsofadreamer.com- Especial de Natal!

    ResponderExcluir
  20. Nossa, que... marcante. Nossa, estou procurando uma palavra para resumir o que senti lendo o seu texto, mas até agora não sei. É profundo, com uma melancolia dissimulada... Incrível, enfim.

    Sobre O Ladrão de Raios, você pode começar a lê-lo no Scribd [http://pt.scribd.com/doc/73661029/o-ladrao-de-raios]. Se gostar, compre ou continue lendo por lá, se não me engano, todos os livros da série estão no site, é só pesquisar ;)

    ResponderExcluir
  21. Emilie adorei o conto, surpreendente, bem no começo realmente pensei que fosse aneurisma, hehe, beijinhos e bom texto

    ResponderExcluir
  22. Que texto triste e real este. Acredito que muitos relacionamentos passam por isso. ><
    http://www.avidaemletras.com/

    ResponderExcluir
  23. Muito bom o conto, valeu pela visita e também pela correção foi a pressa ando meio sem tempo mais vou corrigir. Até breve, http://desventuras-em.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  24. Adorei o texto. Bem tocante :/
    beijo

    Marina Alessandra do blog Maior de Idade
    @mariinaale

    ResponderExcluir
  25. Gostei do texto. É como se tivesse medo do marido ou algo assim. Na verdade, medo não, talvez não o aguentasse mais. Parabéns pelo texto.
    Beijão <3

    ResponderExcluir
  26. Nossa, boas palavras, bem tocante, me fez ficar imaginando a cena e tudo mais.

    xoxo, Thaay
    http://www.chovendoalgodaodoce.com

    ResponderExcluir
  27. Nossa,o marido dela e ela não sente nada kk Gostei da história,diferente daquilo que estamos acostumados a ler.
    vestindo-ideias.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  28. gostei muito, achei a escrita muito bem feita.

    ResponderExcluir
  29. Nossa, o desfecho ficou incrível. "Não é indicio de aneurisma - é ressaca."

    ResponderExcluir
  30. Sabe aquelas coisas que você lê com a respiração presa
    e no final se surpreende tanto que a solta com alívio, e certo,
    expectativa?!

    Gosto do imprevisível, gosto de quem tem o poder de levar minha imaginação longe - onde ela tem prazer em estar.

    Vim retribuir a visita, e encantei-me por aqui.

    Jhosy
    http://meninamsicaeflor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  31. Oie Emile!

    Adorei a carga dramatica, com um pitada de humor que você colocou no texto.

    O final foi fantastico! Parabéns!

    bjus;***

    anereis.
    mydearlibrary | bookreviews • music • culture
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir
  32. nossa
    coitado dele véi
    usahsuhaushahsuahua
    espero que seja só história e nada que vc vivencie
    afinal quantos anos c tm?
    usahsuahsuahushaus
    morri com o final
    é acabei de descobrir que se pode rir com o drama

    radiopires.blogspot.com

    ResponderExcluir
  33. Muito interessante esse conto, emi! Principalmente o humor que ela trouxe misturado com toda a coisa dramática... ADOREI!
    http://dream-after-dream.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  34. Wow.. triste um relacionamento chegar nesse ponto... bjokas

    ResponderExcluir
  35. Amei muito o conto... Sabe?! Ele passa realidade. A personagem é bem verdadeira, é cativante. Direto e simples. Gostei muito ^^

    ResponderExcluir
  36. Adoro esse tipo de fragmento, anexado do nada, surgindo de repente. O texto ficou super fluido e bonito.

    Beijos
    Brilho de Aluguel

    ResponderExcluir
  37. Triste =/
    Lembrei um pouco da minha Mãe.

    ResponderExcluir
  38. Finalmente retornei. E espero nunca mais ir embora ou me afastar durante tanto tempo. Malogrado, estou de 3g, mas tenho! Não me permito nem reclamar. Quero que a vida corra comigo nos ombros.... Nem pude comentar a crônica referente a imagem que pedi, não? O próprio deve ter ficado absorto diante de tanta candura e criatividade. Seu dom é magnífico, saudosa criatura.

    Este está impecável, mas... Não sei porque, não consigo captar seu brilho nestas palavras. Talvez possa ser apenas impressão.

    Fique com Deus,

    xoxo, Ringo.

    ResponderExcluir
  39. É triste quando a inércia chega a esse ponto.. parece que tanto faz viver ou não, buscar ou não o que se gosta.

    Bom texto ^^
    ;*

    ResponderExcluir
  40. Gosto do mistério e poesia que você incorpora em pacatos acontecimentos cotidianos.

    Beijos ;*

    ResponderExcluir
  41. Muito bom. Você escreve bem mesmo. É rápida e dá os nós bem.

    ResponderExcluir
  42. Wow! Nunca tinha lido nada assim escrito por você, Emilie. Gostei.
    Me identifiquei com a parte de "não posso ter uma dor de cabeça, que já penso que é aneurisma...". hauhauhauaua
    Sou naturalmente paranoica.

    Um abraço!

    Terminou de ler "A culpa é das estrelas"? O que achou?

    Sacudindo Palavras

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Área interpretação livre: Faça comentários pertinentes ao texto. O que custa ler e opinar? Estou aceitando todas as teorias possíveis e interpretações mirabolantes (contanto que sejam sobre o conto).
Sem comentários superficiais, ok?: Se vier com um "adorei o texto", "interessante" (ou mesmo, se expressar de forma sucinta e sem significado) seu comentário não será aceito. E, nunca mais visitarei o seu blog. u.u
Prefira usar "Nome/Url" ao preencher a box de comments. Fica fácil na hora de retribuir.
Os comentários serão respondidos nesse post. Para ser avisado da resposta, selecione "Notifique-me", logo abaixo da caixa de comentários.

Postagens mais visitadas deste blog

Teste de Coragem

Dois gatos

Teto de verniz