Loop


        Uma luz viola o quarto. Olhos são coçados. A moça se levanta, espreguiçando-se. Lembranças coladas na parede. A história de um casal percorrendo-a. Abre a janela. Um dia ensolarado. Perfeito para um encontro com sua namorada. Vai ao trabalho. Quase perde a concentração de tanto ansiar ver a amada. Sentia como se não a visse há anos. Mal se despedia dela e já sentia saudade.

         Nada como o amor jovem. Pausa para o almoço. Nem começou a comer, ligou para a mulher. Dizia como estava ansiosa para vê-la. Uma notícia chata. A mulher estaria ocupada o dia todo. Precisa resolver alguns assuntos no serviço. Ficará até tarde. Deixar para um próximo o encontro. Desânimo. Diz que tudo bem e se despede. Decepção. Foca-se mais no trabalho. Estava tão desejosa em vê-la. Quem sabe na próxima? Não queria na próxima. Queria agora. Naquele momento. Ou, no mínimo, no horário combinado anteriormente. Era pedir demais amá-la quando quisesse? Largar o que estava fazendo, encontrá-la e beija-la como se nada mais importasse? Parece até papo de música melosa… E daí? O desejo não deixava de ser esse para aquela funcionária extremamente carente e insegura. Às vezes, não acreditava que namorava alguém. Principalmente uma mulher como aquela. Cheia de energia, agitada. Enquanto ela era quieta, conservada. Quase não falava. Porém, ansiosa e muito sensível. O que fazer?

        Terminou o expediente e voltou pra casa. Jantou de cara emburrada. Começou a passar uma daquelas comédias românticas. Desligou a TV antes que ficasse chateada. Só de imaginar aqueles casaizinhos discutindo durante o filme todo, até que no final eles acabam percebendo que se amam e ficam juntos, a deixava enjoada. Mais do que isso, dava mais vontade de ver a namorada ocupada. Seria ainda tão tarde para a ver? Deitou-se na cama. Não era tão tarde ainda. Resolveu fazer uma loucura. Se arrumou e pegou o carro. Dirigiu até a casa da amante. Invadiria a casa, tiraria um pouco da roupa e deitaria na cama, esperando o retorno da heroína. Luzes acesas. Para o carro estranhando o estado do ambiente. Ela não ia chegar mais tarde? Acabou de chegar, talvez? Sai do veículo. Sente um movimento na casa. Aproxima-se da janela. A namorada deitada numa cama olhando pro teto. Estava tudo bem. Então aparece um homem apenas de cueca, com duas taças na mão e uma garrafa na outra. O que acontecia? Ela com um cara? ELA? Eles bebem e se beijam. Não existe mais suspeitas. Pensa em bater na porta violentamente. Com que intuito? Eles estão lá, se amassando. O fato não deixou de ocorrer. Não há razão para brigar. Amanhã ela conversaria com a mulher e terminaria tudo,certo? Quanto mais assistia a cena, mais desabava. Sentou no chão. Não segurou as lágrimas. Levanta e grita irritada. O som assusta o casal na cama. A traída entra no carro e acelera com tudo. Ninguém entende nada e continuam a pegação.

       Chorando, tenta se concentrar na pista. Ignora as sinalizações. Por que ela fez isso? Por que um homem? E se fosse mulher, não melhoraria nada também. Enxuga as lágrimas. Um carro aparece num cruzamento. Ela freia. O carro não para. Impacto. O veículo capota. Bate numa mureta. Perna machucada. Ferida na cabeça. Tira o cinto e sai mancando. O outro motorista morreu. Sem o cinto, foi lançado contra o poste. A mulher chegou perto do corpo. Crânio aberto. Sentiu ânsia e se afastou. Na ansiedade de encontrar a traidora esqueceu o celular em casa. Continuou mancando. Mal enxergava. Tantos postes de luz e nenhum funcionava. Encontrou um telefone público na outra esquina. Foi lentamente até a rua. Iniciou a travessia. Ouviu um som de aceleração. Outro carro. O motorista discutia com alguém, sem olhar para frente. Parecia a namorada dele. Namorada… A moça não conseguiu correr por causa da perna ferida. O choque foi imediato. Ela acorda assustada. Não lembra o que aconteceu. Algum pesadelo? O quarto é atingido por uma luz. Coça os olhos. Se levanta e espreguiça. Fotos de um casal na parede… Vê um dia ensolarado ao abrir a janela. Um dia perfeito para um encontro com a namorada.

Comentários

  1. Caramba, que texto! O final me lembrou Antes Que Termine O Dia, com esse regresso, essa retomada. Gostei :)

    ResponderExcluir
  2. Noosa, amei o texto! Muito bem escrito, envolvente... E o final, chega a dar medo.
    Parabéns, Beijos :*

    ResponderExcluir
  3. Gostei bastante desse conto. Bem interessante e o final é surpreendente. Beijos e boa semana <3

    ResponderExcluir
  4. Uau um final em inesperado adorei o texto primeira vez aqui no blog, já virei fã muito show mesmo. sensacional adorei aqui.. já to seguindo..

    Da uma passadinha no meu blog ?
    -> Estilo 4 U

    Abração
    Não deixe de conferir...
    Divulgue seus sorteios | Facebook

    ResponderExcluir
  5. Voce escreve super bem, suas historias não sao cliches, adorei, mesmo.

    @littlepistols

    http://portifoliodasletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Felipe arrasou, amei seu conto, final surpreendente, adorei, muito bom mesmo, beijos

    ResponderExcluir
  7. Bah, que final foi esse?! '-' hasu' Interessante o conto, mas e esse final hein? Foi só um sonho mesmo? Hm.

    Beijos
    Meu outro lado

    ResponderExcluir
  8. Felipe você está se superando muito, cara! Adoro esse acontecimento detalhado e rápido das coisas, gosto mesmo.

    ResponderExcluir
  9. Realmente um final inesperado. Se fosse comigo, sonho ou não, eu teria armado o maior barraco u_u Não suporto ser feita de idiota, NEM EM SONHO HAHA
    Adorei! Sorry pela ausência!
    Agora, você e a Emily merecem umas boas palmadas na bunda viu? Não podem deixar o blog tanto tempo sem atualizar! qiçu u-u

    http://rascunhosdasuuka.com

    ResponderExcluir
  10. Parabéns pelo conto, arrazou! Final inesperado, conseguiu surpreender o leitor, você escreve muito.
    -
    Estou disponibilizando alguns layouts, caso lhe interesse: http://denovomaisumavez.blogspot.com.br/p/layouts_25.html

    ResponderExcluir
  11. Muito bom Felipe ^^ O final como todos falaram foi inesperado rs ;)
    Senhorita Emily, não fique muito tempo sem atualizar o blog! Seus contos são muito bons, assim como os do Felipe :)
    http://vitrine-maria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Ficou ótimo o conto! Você escreve muito bem, Felipe!

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
  13. Um conto super envolvente, e que surpreende muito no final! Como faço para ser criativa assim ?!

    meninasapeca-ms.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Claro que entendo, eu mesma estava meio pirada na semana passada e furei todo o meu cronograma, mas vc deixou o post de hoje em ótimas mãos!
    Bjus

    Rafa
    www.rafaelando.com

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Área interpretação livre: Faça comentários pertinentes ao texto. O que custa ler e opinar? Estou aceitando todas as teorias possíveis e interpretações mirabolantes (contanto que sejam sobre o conto).
Sem comentários superficiais, ok?: Se vier com um "adorei o texto", "interessante" (ou mesmo, se expressar de forma sucinta e sem significado) seu comentário não será aceito. E, nunca mais visitarei o seu blog. u.u
Prefira usar "Nome/Url" ao preencher a box de comments. Fica fácil na hora de retribuir.
Os comentários serão respondidos nesse post. Para ser avisado da resposta, selecione "Notifique-me", logo abaixo da caixa de comentários.

Postagens mais visitadas deste blog

Teste de Coragem

Dois gatos

Teto de verniz